CGLU convida para debates na III Conferência Mundial sobre Redução de Risco de Desastres

A III Conferência Mundial sobre Redução de Risco de Desastres está marcada para 14 a 18 de março, em Sendai, no Japão. Nestes dias, a comunidade internacional se voltará para um dos temas que mais preocupam os líderes políticos, pesquisadores e especialistas: as mudanças climáticas e as consequências para o planeta. A frequência e intensidade de danos causados por desastres naturais afetam diretamente as pessoas e as infraestruturas em todo o planeta e chamam a atenção das autoridades.

Muito além da participação, a rede mundial Cidades de Governos Locais Unidos (CGLU) convida os gestores locais para debater o papel deles no trabalho de redução do risco de desastres naturais. As inscrições vão até 20 de fevereiro. Para fazer parte do Grupo Especial de Governos Locais, os interessados devem entrar em contato com a CGLU até 7 de fevereiro. Esse grupo se encontrará em uma Reunião Preparatória, no dia 13 de março, para adoção de uma declaração política.

Na programação do evento está prevista uma mesa redonda organizada por governos locais. O tema será “A redução do risco de desastres em zonas urbanas”. Este espaço proporcionará um debate interativo entre representantes de governos estatais, locais e regionais, centrado nas prioridades e no papel chave das autoridades locais em um novo Marco ​de Ação, pós-Hyogo.

Marco de Ação Hyogo
O Marco de Ação Hyogo (HFA¸ na sigla em inglês) foi o primeiro plano para explicar, descrever e detalhar o trabalho que é exigido de todos os setores e atores para reduzir as perdas causadas por desastres. O HFA foi aprovado em 2005 por 165 países presentes na Conferência Mundial para Redução de Desastres, que se comprometeram a adotar medidas para reduzir o risco de desastres até 2015. Passado o prazo estabelecido, a III Conferência deve estabelecer estratégias para um novo Marco de Ação.

A Organização das Nações Unidas (ONU), organizadora da Conferência, possui também uma campanha específica para as cidades na temática de desastres. A iniciativa, chamada “Cidades Resilientes”, reúne mais de mil cidades de todo mundo que aumentaram o grau de consciência e compromisso em torno das práticas de desenvolvimento sustentável, como forma de diminuir as vulnerabilidades aos desastres e propiciar o bem estar e segurança dos cidadãos.

As cidades são consideradas resilientes quando têm capacidade de resistir, absorver e se recuperar de forma eficiente dos efeitos de desastres. Os Municípios participantes seguem etapas solicitadas pela ONU, que incluem ações de conscientização, investimentos, planejamento, manutenção. Com 282 Municípios participantes, o Brasil é o país com maior representação na campanha.

Confira aqui o site da III Conferência Mundial sobre Redução de Risco de Desastres

Para participar e para mais informações, contate a Confederação Nacional de Municípios via internacional@cnm.org.br ou contate diretamente a CGLU em wcdrr@uclg.org

Para conhecer a iniciativa Cidades Resilientes, clique aqui

Fonte: Portal CNM

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s